5 de jun de 2014

Vida de pescador

Ilha de Torotama (RS)



Tempo de espera, do homem,
Do barco, da rede.
Ficar à beira-mar,
Sem sentir cheiro de peixe no ar,
Dói demais aos olfatos sensíveis.
É ficar de olhar fixo no horizonte,
Sem ter o quê fazer!
É procurar por uma visão do invisível.

Clique na foto para ampliar.

1 comentários:

Anônimo disse...

Belas fotos. Poesia sucinta e bem focada nas imagens. Gostei. Vejo que o blogueiro é muito sensível.

clique